Alentejo , alma minha !

És minha terra sagrada, guardada dentro de mim ! Pelo sol  foste doirada, planície que não tem fim !

Ai Alentejo, Alentejo , daqui te mando o meu beijo!

Terra de azeite e de pão ,aos pobres matas a fome ! Palpita meu coração e a saudade me consome !

Ai Alentejo, Alentejo , daqui te mando o meu beijo !

Anúncios

Namorar ao luar

namorar à janela

Quando a noite caía
de mansinho,
o mais lindo vestido vestia,
enfeitava os meus cabelos,
perfumava o meu corpo,
pintava de vermelho os lábios,
e sorria, sorria.

Quando a noite caía
devagarinho,
a minha janela abria,
ansiosa
e espreitava, espreitava,
a rua deserta
para ver se te via.

Quando a noite caía
silenciosa,
a lua namoradeira aparecia
vigilante e
de nós se ria , maliciosa,
porque sentia
o meu coração palpitante.

Quando a noite dormia
já cansada,
os nossos abraços e beijos
acordavam a madrugada
e a lua que nos olhava,
sorria, sorria ,
encantada.

A lua brilhava, brilhava
na escuridão ,
dando mais vida, luz
e emoção
a tão lindos momentos
de paixão.

Graça Foles Amiguinho
16/1/2018

Não percas a coragem

solidão-696x348

Quando pensas que estás encurralada,
quando as portas se fecham e não vês nada,
não percas a coragem, segue adiante, cabeça erguida
porque ao amanhecer surgirá a luz e encontrarás uma saída.

Há momentos que vivemos plenos de incertezas,
há horas que contamos intermináveis e negras
mas no meio da tempestade surge um raio de esperança
que seguimos sem olhar atrás e confiantes avançamos como uma criança.

Onde foram os amigos em quem tanto confiavas?
onde se esconderam os sorrisos , as palavras falsas?
O pouco que te resta é pouco mas melhor que nada.

Confia no melhor que em ti sempre com zelo guardaste,
a humildade, a alegria , a partilha , a sã camaradagem
e nada nem ninguém poderá destruir a tua coragem.

Graça Foles Amiguinho
17/1/2017

Onde ficou o amor?

 

Um dia chamaram-te à vida
sem nada teres pedido.
Mal-amada, indesejada,
logo nesse momento foste rejeitada!

Não consegues entender
o que vieste fazer.
Sentes a dor da solidão.

Ela te fere sem piedade.
Não tens quem te dê a mão
neste mundo sem caridade.

Quantas vezes o teu grito
ecoa na escuridão.
És a voz abafada, o som aflito
de quem clama com razão
AMOR, AMOR, AMOR, DEDICAÇÃO!

Graça Foles Amiguinho
16/1/2014menino